O que é People Analytics?

People analytics é uma metodologia baseada na utilização da análise de dados para apoiar no gerenciamento das pessoas no ambiente de trabalho.  A sua aplicação está cada vez mais presente na realidade das empresas já que o uso adequado das informações facilita a tomada de decisões baseada na experiência, reduzindo a subjetividade e melhorando a eficiência da gestão de pessoas.

A aplicação do People Analytics reduz a subjetividade e traz maior eficiência para o modelo de gestão de pessoas

Aplicações

Imagine que uma vaga de analista sênior abriu na área de contabilidade. Como saber se tenho possíveis sucessores dentro de casa? Além de conversar diretamente com o gestor da área, pode-se analisar pela base de dados os possíveis colaboradores, inclusive de outras áreas, para uma substituição ou promoção. Analisar as características de cada um, sua curva de crescimento, habilidades e competências mapeadas por meio do people analytics ajudará a encontrar soluções e tornar a tomada de decisão fundamentada em dados, e não somente na experiência.

Esse é apenas um exemplo de como os resultados gerados pela mensuração e análise de desempenho dos colaboradores podem transformar todos processos de gente e gestão, desde a contratação até a retenção de talentos.

Recrutamento

Processos de recrutamento e seleção podem ser bastante complexos, demandando altos custos e esforços. Apesar de ser comum a solução da terceirização em busca de redução das despesas, selecionar pessoas é uma das atividades mais estratégicas de uma empresa e tem contado cada vez mais com a participação da alta liderança.

Para apoiar um processo seletivo com custos reduzidos e com maior precisão, a análise de dados é um método que traz uma série de benefícios. Ao se canditadar para uma determinada vaga, o candidato informa alguns dados que serão utilizados para traçar um perfil preliminar a ser cruzado com as informações de requisitos da vaga e do perfil considerado de boa performance para aquela posição. Para traçar esse perfil, dados históricos são essenciais, podendo levar em conta a formação, as avaliações de desempenho, mapeamento de habilidades e competências de cada colaborador, entre outras características.

Dessa maneira, os primeiros filtros são realizados de forma automática assistidos por ferramentas de análise quantitativa, aumentando a probabilidade de sucesso e levando para etapas mais avançadas do processo – como as entrevistas – aqueles candidatos estatisticamente mais recomendáveis para a função.

Desenvolvimento e Avaliação de Desempenho

Normalmente realizada semestral ou anualmente, a avaliação de desempenho é responsável por dar um feedback sobre a perfomance do colaborador, destacando seus pontos fortes a serem explorados e pontuando aqueles a serem desenvolvidos. Manter um histórico confiável dessas informações possibilita que os dados sejam monitorados e visualizados de forma rápida por meio de ferramentas, apoiando o acompanhamento do desenvolvimento individual, mas também possibilitando a comparação com os outros colaboradores da empresa.

Essa análise comparativa por meio do People Analytics traz uma série de benefícios:

  • Promove a meritocracia, por meio da rápida comparação de colaboradores, facilitando um processo de promoção mais justo
  • Permite o mapeamento de características a fim de identificar os perfis mais adequados, ou até complementares, necessários para cada cargo ou área de atuação
  • Contribui para a melhor compreensão da curva de crescimento dos colaboradores, apoiando a definição de plano de carreira de cada um
  • Apoia a elaboração de um plano de sucessão
  • Facilita o compartilhamento de informações e lições apreendidas entre os gestores, visando melhorar os Planos de Desenvolvimento Individuais (PDI’s) dos colaboradores

Retenção de Talentos

Muitas vezes, para ganhar a guerra de mercado na retenção de talentos, as empresas oferecem mais dinheiro aos que permancem, seja em forma de salário ou bônus. Porém, em ambientes que enfrentam alto índice de desgaste nas relações e insatisfação dos colaboradores, geralmente esta estratégia não se mostra efetiva.

Um ambiente meritocrático, em que os colaboradores sentem-se reconhecidos por seu trabalho e recebem acompanhamento constante para seu desenvolvimento, é um diferencial que nem todas as empresas conseguem criar.

Como as empresas do Brasil estão atuando hoje?

A terceira edição da Pesquisa de Melhores Práticas em Gente e Gestão, aplicada no início do segundo semestre de 2017 pela Visagio, avaliou, entre outros tópicos, como as empresas estão atuando hoje com People Analytics. De acordo com os resultados, apenas 24% das 81 empresas respondentes possuem alguma iniciativa sobre o tema, mostrando que ainda é um tema incipiente nas organizações do país. Um fator limitante do People Analytics que impacta nesse resultado é a disponibilidade e qualidade de dados: apenas 13% das empresas apontaram possuir disponibilidade de dados de alta qualidade.

Em relação à sua utilização no dia a dia, de acordo com a pesquisa, as maiores aplicações práticas de People Analytics se concentram em Dashboards e Workforce Planning, demonstrando ainda pouco uso da ferramenta para carreira, sucessão e retenção de colaboradores no Brasil.

Por meio do monitoramento das avaliações de desempenho e da curva de crescimento dos colaboradores, é possível identificar previamente algumas situações típicas de abandono de emprego. Outras situações, porém, já são fruto do ambiente de trabalho e podem ser identificadas por uma pesquisa de clima organizacional. Analisando os resultados desse tipo de pesquisa, serão identificadas oportunidades de melhoria para a organização, resultando em um clima que estimule o engajamento e retenha os talentos.

Aplicação de People Analytics nas empresas Brasileiras

People Analytics é capaz de trazer muitos insights para solucionar questões de gestão de pessoas nas organizações, sendo importante frisar que diferentes tipos de negócios podem necessitar de mapeamentos específicos.

Além disso, ao contrário do que se pode pensar em um primeiro momento, People Analytics não surge para mecanizar o processo de gente e gestão, mas sim para apoiar e trazer informação que sustente tomadas de decisão mais fundamentadas.

Afinal, dados não geram mudanças por si só. Sem as pessoas para criticá-los, traduzí-los em ações, acompanhar seus resultados e traçar caminhos mais objetivos, o People Analytics se torna apenas mais um gerador de métricas quantitativas.

 


Sobre as autoras

Janaina Jacobs é consultora da Visagio, especialista em projetos com foco em engenharia de processos, reestruturação organizacional e implantação de centro de serviços compartilhados nos setores imobiliário, varejo, saúde, financeiro e de telecomunicações.

Marcela Figueiredo é consultora da Visagio, especialista em projetos com foco em modelo de gestão, reestruturação organizacional e reengenharia de processos nos setores de varejo, mercado financeiro, gestão pública e outros.